Agentes comunitárias: saúde mental na rede básica de saúde

1

 

Dezoito agentes comunitárias do Programa de Saúde da Família, no último dia 18 (maio), que trabalham na UBS Iaçapé (Sapopemba SP-Capital) fizeram uma apresentação sobre suas participações durante o Projeto de Aconselhamento Interpessoal para depressão.

Relatos emocionantes, mas precisos e elaborados, mostraram o sucesso da intervenção e principalmente o reconhecimento destas profissionais como FUNDAMENTAIS em qualquer planejamento de saúde mental pública em nosso país.

O empoderamento, com o reconhecimento de suas potencialidades, e a segurança em poder usar um método previamente validado, abrem um novo caminho para a saúde mental na rede básica de saúde.

Centenas de pessoas numa pesquisa (patrocinada pela FAPESP processo 2012/17485-4) entre pais com depressão e seus filhos foram muito beneficiadas. Casos onde teriam acesso restrito a saúde mental, e quando os tivessem estes muitas vezes seriam inadequados para o tratamento de depressões leves na atenção primária, resumindo-se a prescrição de um antidepressivo ou ansiolítico, que somente funcionam muito bem para os casos moderados e graves, que seriam então encaminhados para a atenção especializada.

Parabéns as grandes ACS do Iaçapé e a todos aqueles, também da equipe do PROVE, que permitiram que isto acontecesse: Rosaly Braga, Camila Matsuzaka, Bruno Coimbra, Fernando Grecco, Samara Hipolito, Fernanda Brunelli.

Obrigado às pessoas que permitiram e deram condições para a execução do mesmo: Mariana Ceron, Thais Araújo, Fabiola Del Giudice, Paula Serafim, John Markowitz, Lena Verdeli, Myrna Weissman, SPDM: Ramiro Azevedo, Daniel Almeida, Agrimeron Costa; Coordenadoria de Saude da Prefeitura da Zona Leste: Regina Batistela Magri, Alva Helena de Almeida, Rosiran Carvalho de Freitas.

 

  • José Paulo Fiks

    Marcelo, que trabalho fantástico! Certamente pode ser a grande saída para que boa parte da população da periferia – com enorme carência de serviços de saúde – possam ter algum atendimento no campo da atenção primária em transtornos mentais.