Parcerias

O PROVE desenvolve parcerias que agregam valor e visam promover a saúde mental da população. Uma série de ações vem sendo desenvolvida ao longo de anos com instituições, associações, empresas e governos que compartilham da mesma visão e valores.

 

Casa do Zezinho 

 

PROVE trabalha com a Casa do Zezinho que atende mais de 1200 crianças de 6 a 29 anos de baixa renda, que moram na região do Campo Limpo. A Casa do Zezinho tem sido um espaço de oportunidades de desenvolvimento para estas crianças e jovens em situação vulnerável. O PROVE faz um trabalho na prevenção da violência e de detecção de problemas de saúde mental nestas crianças e suas famílias, intervindo e quebrando um ciclo de repetição da violência. http://www.casadozezinho.org.br

 

Associação Paulista para o desenvolvimento da Medicina

 

Uma entidade filantrópica que atua em 6 estados e tem mais de 40.000 funcionários. O PROVE atua na região de Sapopemba, realizando capacitação na detecção e intervenção de problemas de saúde mental na atenção primária, dentro do Programa da Saúde da Família (PSF). O Prove está em conjunto com a Columbia University desenvolvendo um programa de detecção e de aplicação de intervenção breve em depressão, aplicada pelos agentes de saúde, sob supervisão especializada. Mais de 120 famílias foram incluídas no programa. Associação Paulista para o desenvolvimento da Medicina (SPDM) http://www.spdm.org.br.

 

Universidade de Columbia

 

O PROVE tem parceria com o departamento de Psiquiatria da Universidade de Columbia atuando em Sapopemba e na Cidade de Itaborai-RJ, em projeto de capacitação de profissionais de saúde para intervenção em educação sexual e prevenção de DST.

 

Cruz Vermelha Internacional

 

Outra parceria foi firmada com a Cruz Vermelha Internacional para realizar cursos de formação nas áreas de violência e saúde mental com foco nos profissionais do Programa Saúde da Família, que atendem em regiões de favelas nos morros do Rio de Janeiro.

Nesses locais, a violência foi classificada pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha como guerra urbana. A primeira turma, formada pelo curso, já está atendendo pacientes com Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) e Depressão, associados à violência.

 

Coordenadoria da Mulher

 

Em parceria com a Coordenadoria da Mulher (por meio da Secretaria de Participação e Parceria da Prefeitura do Município de São Paulo), o PROVE também trabalha com pacientes recebidos na Casa Eliane de Grammont, uma das primeiras casas municipais de atendimento, que auxilia gratuitamente mulheres acima de 18 anos que tenham sofrido qualquer tipo de violência, o que inclui agressões físicas, assédio, estupro ou qualquer ameaça verbal, inclusive o terrorismo psicológico, tanto no ambiente doméstico como no de trabalho.

No local, essas mulheres recebem orientação jurídica, psicológica, social, e em alguns casos são abrigadas. Porém, a Casa não realiza atendimento específico para Transtorno de Estresse Pós-Traumático e não tem psiquiatra. A equipe do PROVE supre esta lacuna, realizando a avaliação multiprofissional e encaminhando casos para tratamento. Também por meio da parceria com a Secretaria, a equipe avalia, encaminha e atende mulheres que sofreram violência doméstica nos Centros de Cidadania.

Já em abrigos para menores, que mantém crianças retiradas da guarda dos pais, o PROVE oferece supervisão da equipe e de educadores, e atende aquelas que apresentam sintomas psiquiátricos e psicológicos associados a situações de violência, em maior parte indivíduos que sofreram abuso sexual e violência doméstica.

Sobre o autor